Blog de Monica Numast - O Vôo da Águia

Citação


"Bombeiros espremem-se.  Laje do segundo andar do prédio caiu sobre a do primeiro; vão entre as duas é de 60 cm e em frestas em busca de corpos - "

Autor: LAURA CAPRIGLIONE - DA REPORTAGEM LOCAL -

 Buscar na Web "LAURA CAPRIGLIONE - DA REPORTAGEM LOCAL - "

Quando: JORNAL FOLHA DE SAO PAULO - São Paulo, sexta-feira, 20 de julho de 2007

Peso carregado pelo soldado pode atingir os 30 quilos por causa de tubo de oxigênio, lanterna, proteção térmica, bota, capacete e ferramenta.

Os 60 bombeiros que ontem à tarde trabalhavam no resgate dos corpos das vítimas do vôo 3054 da TAM enfrentaram a sua mais dura prova de coragem desde o acidente. É que, em decorrência do impacto do avião com o prédio da TAM Express, a laje do segundo andar caiu sobre a do primeiro. Entre as duas sobrou apenas um vão claustrofóbico de 60 centímetros. Era por essa fresta, sob risco de desabamento total da estrutura (como aliás já aconteceu na parte de trás do prédio), que os bombeiros tinham de se esgueirar para procurar corpos. O trabalho, segundo o capitão Mauro Lopes, precisava ser feito com mais cautela, mais precisão e lentidão. Cerca de 40 horas depois do acidente, ainda havia focos isolados de incêndio no prédio da TAM, a fumaça preta ainda dominava o local e, dentro do sanduíche de lajes, a temperatura passava de 60C. Os bombeiros só conseguiam entrar no local graças a um tubo de 40 centímetros de diâmetro, flexível e comprido, que era introduzido primeiramente na fresta entre as lajes. Conectada a um exaustor, a lagarta preta aspirava o ar quente e a fumaça, lançando-os para fora do prédio.

Em seguida, os bombeiros entravam rastejando. Nas costas de cada soldado, um tubo amarelo de oxigênio pesando oito quilos. Some-se máscara de ar, lanterna, capa, proteção térmica, luvas, botas, capacete e ferramentas, como alicates de 70 centímetros de comprimento, e o peso carregado pelo bombeiro pode atingir os 30 quilos. Dificulta a mobilidade. Fica mais difícil ainda porque o espaço exíguo está lotado de entulho, de fragmentos do avião e de móveis amassados pelo desabamento da laje.

No segundo andar do edifício principal da TAM Express, por exemplo, encontrou-se ontem parte de uma turbina do avião. Outras peças -totalmente deformadas- eram retiradas e depositadas defronte ao posto de gasolina vizinho ao prédio.

Os bombeiros trabalham em equipe para avançar por dentro do prédio. Tubos de oxigênio passam de mão em mão, subindo até as lajes, para substituir outros, vencidos. Sem esse tubo, o bombeiro intoxica-se com a fumaça e ainda corre o risco de queimaduras -sempre graves- das vias aéreas. Também passa de mão em mão o gerador elétrico que alimenta o exaustor. Outra turma mantém o jorro constante de água sobre a construção, a fim de resfriá-la. Outra, ainda, opera maquinário semelhante a uma retroescavadeira, com um alicate hidráulico na ponta, usado para cortar pedaços de laje. Por fim, para zerar as chances de o combustível no posto explodir, uma última equipe dedica-se a retirar 105 mil litros de gasolina dos tanques ameaçados. Não há gritos de comando, cada homem parece saber exatamente o que fazer. Os oficiais usam capacetes brancos, os praças, pretos. Às 17h30, três sacos cadavéricos começam a subir para a fresta das lajes. Mais corpos, é certo. Quinze minutos depois, dois sacos descem -são levados para carros do Instituto Médico Legal estacionados logo ao lado. O conteúdo de cada saco é diminuto, mas ninguém comenta. Estão todos em silêncio. A todo momento, homens extenuados, corpos imundos, cobertos de fuligem, suando muito, saem do prédio. Eles retiram as máscaras, depositam o tubo de oxigênio e as ferramentas usadas em um cercadinho onde, por volta das 18h, já estão depositados pelo menos 30 outros tubos vazios. E vão em busca de água mineral. É sempre o mesmo gesto. Os homens abrem dois copinhos. Um eles bebem. O outro, jogam na cabeça -para, literalmente, esfriá-la. (Durante a tarde de ontem a equipe retirou apenas oito corpos. Estima-se que haja mais oito para ser resgatados.



Escrito por ma.numast às 09h23 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Essa é a minha homenagem à todos aqueles que não querem ver o que acontece em seu dia a dia, que acham que o que aconteçe na política não lhes diz respeito, enfim....

"COMO VOVÓ JÁ DIZIA - VERSÃO CENSURADA PELA DITADURA MILITAR"

Autor: Raul Seixas

Buscar na Web "Raul Seixas"

Quem não tem colírio, usa óculos escuros....

Quem não tem colírio, usa óculos escuros ....

Essa luz tá muito forte tenho medo de cegar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros....

Os meus olhos tão manchados com teus raios de luar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Eu deixei a vela acesa para a bruxa não voltar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Acendi a luz do dia para a noite não chiar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Quem não tem papel dá o recado pelo muro

Quem não tem passado se conforma com o futuro [REFRÃO]

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Já bebi daquela água quero agora vomitar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Uma vez a gente aceita, duas tem que reclamar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

A serpente está na terra o programa está no ar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Vim de longe de outra terra pra morder teu calcanhar [REFRÃO]

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Essa noite eu tive um sonho, eu queria me matar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Tudo tá na mesma coisa, cada coisa em seu lugar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros...

Com dois galos a galinha não tem tempo de chocar

Quem não tem colírio, usa óculos escuros....

Tanto pé na nossa frente que não sabe como andar [REFRÃO]



Escrito por ma.numast às 05h02 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"PRECES POR AQUELES QUE NÃO ESTÃO MAIS NA TERRA"

Autor: Livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo” – ALLAN KARDEC

Buscar na Web "Livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo” – ALLAN KARDEC"

POR ALGUÉM QUE ACABA DE MORRER

PREFÁCIO. As preces pelos Espíritos que acabam de deixar a Terra não têm somente a finalidade de lhes dar um testemunho de simpatia, mas têm ainda por efeito ajudar o seu desligamento e, com isso, abreviar a perturbação que segue sempre a separação, e tornar o despertar mais calmo. Mas aí ainda, como em outra circunstância, a eficácia está na sinceridade do pensamento, e não na abundância de palavras ditas com mais ou menos pompa, e nas quais freqüentemente, o coração não toma parte. As preces que partem do coração ressoam em torno do Espírito, cujas idéias são ainda confusas, como as vozes amigas que vêm nos tirar do sono. (Cap. XXVII, nº 10).

PRECE. Deus Todo-Poderoso, que a vossa misericórdia se estenda sobre a alma de N... que vindes de chamar para vós. Possam as provas que ele (ou ela) suportou na Terra lhe serem contadas, e as nossas preces abrandar e abreviar as penas que pode ainda experimentar como Espírito! Bons Espíritos, que viestes recebê-lo, e vós sobretudo seu anjo guardião, assisti-o para ajudá-lo a se despojar da matéria; dai-lhe a luz e a consciência de si mesmo, a fim de tirá-lo da perturbação que acompanha a passagem da vida corporal para a vida espiritual. Inspirai-lhe o arrependimento das faltas que pôde cometer, e o desejo que lhe seja permitido repará-las para apressar o seu adiantamento para a vida eterna feliz. N..., vindes de reentrar no mundo dos Espíritos, e entretanto estais aqui presente entre nós; vede-nos e nos ouvis, porque não há de menos entre nós e vós senão o corpo perecível que vindes de deixar e que logo será reduzido a pó. Deixastes o grosseiro envoltório sujeito às vicissitudes e à morte, e não conservastes senão o envoltório etéreo, imperecível e inacessível aos sofrimentos. Se não viveis mais pelo corpo, vive da vida dos Espíritos, e essa vida é isenta das misérias que afligem a Humanidade. Não tendes mais o véu que oculta aos nossos olhos os esplendores da vida futura; podeis, de hoje em diante, contemplar novas maravilhas, ao passo que nós estamos ainda mergulhados nas trevas. Ides percorrer o espaço e visitar os mundos em inteira liberdade, ao passo que nós rastejamos penosamente sobre a Terra, onde nos retém nosso corpo material, semelhante para nós a um pesado fardo. O horizonte do infinito vai se desenrolar diante de vós, e, em presença de tanta grandeza, compreenderá a vaidade dos nossos desejos terrestres, das nossas ambições mundanas e das alegrias fúteis das quais os homens fazem as suas delícias. A morte não é, entre os homens, senão uma separação material de alguns instantes. Do lugar de exílio, onde nos retém ainda a vontade de Deus, assim como os deveres que temos a cumprir neste mundo, nós vos seguiremos pelo pensamento até o momento em que nos será permitido nos reunirmos a vós, como estais reunidos com aqueles que vos precederam. Se não podemos ir perto de vós, podeis vir perto de nós. Vinde, pois, entre aqueles que vos amam e que amastes; sustentai-os nas provas da vida; velai sobre aqueles que vos são caros; protegei-os segundo o vosso poder, e abrandai seus pesares pelo pensamento de que estais mais felizes agora, e a consoladora certeza de estar um dia reunido a vós num mundo melhor. No mundo em que estais, todos os ressentimentos terrestres devem se extinguir. Para vossa felicidade futura, de hoje em diante, que possais a eles ser inacessível. Perdoai, pois, àqueles que procederam mal para convosco, como vos perdoam os que podeis ter procedido mal para com eles.

Nota. Podem-se ajuntar a esta prece, que se aplica a todos, algumas palavras especiais, segundo as circunstâncias particulares de família ou de relações e a posição do falecido.



Escrito por ma.numast às 12h05 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO"

Autor: LAURA CAPRIGLIONE E VINICIUS QUEIROZ GALVÃO

Buscar na Web "LAURA CAPRIGLIONE E VINICIUS QUEIROZ GALVÃO"

Quando: 18/07/2007

Funcionária salta para fugir do inferno Segundo os bombeiros, a temperatura no prédio da empresa chegou a 1.000ºC, no momento de intensidade máxima Da av. dos Bandeirantes, por trás da pista do aeroporto de Congonhas, a fumaça negra era visível mesmo na escuridão da noite

LAURA CAPRIGLIONE VINÍCIUS QUEIROZ GALVÃO - DA REPORTAGEM LOCAL

Por volta das 19h de ontem, uma funcionária uniformizada da TAM Express, em desespero, jogou-se do edifício que fica no número 7.305 da avenida Washington Luís. O prédio tinha acabado de ser atropelado na lateral pelo Airbus A320. Labaredas começavam a subir, acompanhadas por uma grossa coluna de fumaça preta que logo enegreceu o céu. A funcionária estava no primeiro andar. Acossada pelo calor e pela fumaça do prédio em chamas (segundo os bombeiros, a temperatura interna chegou a 1.000ºC, no momento de intensidade máxima), sem conseguir sair do edifício, ela jogou-se de qualquer jeito. Caiu com a cara no chão. O corpo ficou na calçada, imóvel, enquanto as vidraças do edifício estilhaçavam-se sob efeito do calor -os cacos choviam sobre o corpo da funcionária. "Foi horrível. O barulho do corpo batendo no chão eu nunca vou me esquecer", lembra a jornalista da TV Cultura, Laís Duarte. Ela estava no aeroporto de Congonhas fazendo mais uma reportagem sobre a crise aérea. Quando ouviu o estrondo da queda do avião da TAM, correu para o local. A repórter ainda pôde ver a correria das pessoas que, naquela hora de saída do trabalho, lotavam um ponto de ônibus quase defronte ao prédio atingido. "O temor generalizado era que as chamas atingissem um posto Shell que fica a menos de 50 metros de onde acontecia o incêndio." Dois bombeiros e um passante tentaram socorrer a funcionária caída. Precisaram esperar todas as janelas reduzirem-se a cacos no chão. Além da funcionária, outro homem jogou-se do prédio. Muito queimado, estava sem os cabelos e as roupas -tinha o corpo enegrecido. Segundo Laís e o cinegrafista Marcelo Scano, não dava para identificar-lhe a fisionomia. As equipes de resgate demoraram dez minutos para chegar ao local. Mas o desespero na avenida durou bem mais. Da avenida dos Bandeirantes, por trás da pista de Congonhas, a fumaça negra era visível à distância, mesmo na escuridão da noite. Defronte ao 7.305 da Washington Luís, via-se a cauda do avião. Labaredas jogavam uma massa de ar quente no rosto de quem se aventurava pelo local, apesar da noite fria e da chuva que caía. Às 20h, no prédio ao lado, um estrondo. Um cogumelo de fogo subiu bem perto de onde estavam bombeiros, repórteres e curiosos. Foi a primeira de uma série de explosões que acabariam por levar ao desabamento parcial da edificação. Os caminhões-pipa dos bombeiros, em número de 50, não conseguiam dominar as chamas, que, depois da primeira explosão, voltaram a ganhar força. O ar estava tomado por uma mistura de fumaça e pó. As luzes nos postes estavam acesas, mas a atmosfera carregada impunha o breu. O ar sufocante com cheiro de borracha queimada embrulhava o estômago. Dois bombeiros carregavam uma maca com o corpo da primeira vítima retirada dos escombros. Estava chamuscado e parecia ter morrido em posição fetal. Foi embrulhado em uma espécie de papel de alumínio e depois recoberto por um plástico. A pista da Washington Luís tinha 36 macas perfiladas à espera de novas vítimas. Ali ao lado, no saguão do aeroporto, uma enorme fila -como nunca vista nas sucessivas crises aéreas- lotava a área do check-in em direção ao balcão da TAM. Mas a única voz que se ouvia era a do alto-falante que anunciava o fechamento do aeroporto. Da parte dos passageiros, silêncio absoluto...



Escrito por ma.numast às 09h38 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"ORAÇÃO DA SOLIDARIEDADE"

Autor: Oração captada de Francisco de Assis e transmitida psicograficamente pelo Espírito Carlos Murion ao médium José Medrado.

Buscar na Web "Oração captada de Francisco de Assis e transmitida psicograficamente pelo Espírito Carlos Murion ao médium José Medrado."

Quando: Assis, Itália, 08/05/99

Que eu possa a quem está com frio dar o cobertor. Mas se o frio for da alma, que eu tenha condições de dar afetivo calor. Se alguém chorar, que eu possa suas lágrimas enxugar. Mas se eu também estiver em dor, que pelo menos possa companhia fazer. Porque é chocante, senhor, chorar sem ter alguém para nos consolar; sofrer sem ter com quem dividir; precisar desabafar e não ter quem ouvir; enfermar sem ter com quem contar. Assim, Senhor, e por tudo isso, eu te suplico: preciso ao próximo servir, tendo tolerância para com a ignorância; o desprendimento frente à pobreza; a solicitude moral diante dos reclames das crianças; atenção e amparo para com a velhice; o perdão sem condição; a brandura na exaltação; a verdade sem interesse e o amor sem cobranças. Mas, se nada disso eu puder ter ou fazer, que a vida me torne humilde para reconhecer que preciso espiritualmente crescer. Assim seja.



Escrito por ma.numast às 01h03 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


 

 

"Festival de Dança de Joinville traz companhia de Baryshnikov e mais de 2.000 vagas em cursos"

Buscar na Web ""

Quando: 18 a 28 de julho de 2007

25º Festival de Dança de Joinville de 18 a 28 de julho de 2007.

Ingressos à venda a partir de 2 de julho pelo site do festival ou diretamente na bilheteria do Centreventos. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 0/XX/47 3028-2020 (Instituto Festival de Dança de Joinville) ou pelo site do evento.

Como chegar De avião - a cidade conta com aeroporto, atendido regularmente por companhias aéreas nacionais.

De carro - pela BR 101, vindo da direção de Curitiba ou de Florianópolis.

De ônibus - a partir das principais capitais, a maioria das companhias de ônibus têm passagens para Joinville. Com mais de 2.000 vagas em oficinas e cursos, este ano o Festival de Dança de Joinville (SC) traz na noite de abertura a Hell´s Kitchen Dance, companhia de dança de um dos maiores bailarinos da história: Mikail Baryshnikov.

O evento será realizado de 18 a 28 de julho, e a maior parte as atrações se apresentará no complexo do Centreventos Cau Hansen (onde também fica a sede da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil).

No programa, estão inclusas as tradicionais Noite de Abertura e Noite de Gala, Mostra Competitiva, Mostra de Dança Contemporânea, o festival de meia-ponta (dedicado aos pequenos alunos de dez a 12 anos), apresentações em palcos abertos, seminários de dança, encontro das ruas (hip hop) e a feira da sapatilha.

Há 25 anos o festival é realizado, com uma participação média de 4,5 mil bailarinos de dança clássica, contemporânea, jazz, sapateado, popular e de rua, segundo a organização do evento.

A assessoria de imprensa do festival também diz que cerca de 200 mil pessoas devem visitar Joinville no período. Hell´s Kitchen Dance A companhia Hell´s Kitchen Dance --com Mikhail Baryshnikov-- é grande atração da noite de abertura.

O grande nome do balé mundial vai estrear sua turnê internacional em Joinville, depois em São Paulo e no Rio de Janeiro. Nascido em 1948, Baryshnikov foi solista do Kirov Ballet (Rússia); do American Ballet Theater e do New York City Ballet (EUA).

Atuou no cinema e consagrou-se como um dos melhores e mais importantes bailarinos do mundo. Dicas turísticas Em Joiville, durante o inverno, os visitantes podem apreciar restaurantes, confeitarias e cafés, repletos de quitutes da culinária alemã, como o famoso "apfelstrudel" (torta de maçã) e o marreco recheado. A vida noturna de Joinville ganha destaque durante o festival com a realização de festas temáticas nos bares e boates. A cidade ainda conta com um roteiro de museus, e é sede da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (ETBB), única filial fora da Rússia da famosa Escola de Moscou. Localizada entre a serra que leva a Curitiba (130 km) e o litoral de Florianópolis (165 km), Joinville está cercada por municípios vizinhos que contam com opções de passeios próximos, como São Francisco do Sul, uma das primeiras cidades brasileiras, com bucólica arquitetura colonial e belas praias. Os turistas têm ainda a opção de navegar com o barco Príncipe de Joinville pela baía da Babitonga. Quem curte o meio campestre, pode aproveitar o passeio pela Estrada Bonita, um recanto de turismo rural a 23 km do centro de Joinville, onde pequenas propriedades vendem produtos de fabricação caseira. Os passeios podem ser agendados nos hotéis e agências de viagem da cidade, com saídas pela manhã e retorno à tarde.



Escrito por ma.numast às 07h52 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Oração captada de Francisco de Assis e transmitida psicograficamente pelo Espírito Carlos Murion ao médium José Medrado."

Buscar na Web ""

Quando: Assis, Itália, 08/05/99

ORAÇÃO DA SOLIDARIEDADE

 Que eu possa a quem está com frio dar o cobertor.

Mas se o frio for da alma, que eu tenha condições de dar afetivo calor.

Se alguém chorar, que eu possa suas lágrimas enxugar.

Mas se eu também estiver em dor, que pelo menos possa companhia fazer.

Porque é chocante, senhor, chorar sem ter alguém para nos consolar;

sofrer sem ter com quem dividir;

precisar desabafar e não ter quem ouvir;

enfermar sem ter com quem contar.

Assim, Senhor, e por tudo isso, eu te suplico: preciso ao próximo servir, tendo tolerância para com a ignorância;

o desprendimento frente à pobreza;

a solicitude moral diante dos reclames das crianças;

atenção e amparo para com a velhice;

o perdão sem condição; a brandura na exaltação;

a verdade sem interesse e o amor sem cobranças.

Mas, se nada disso eu puder ter ou fazer, que a vida me torne humilde para reconhecer que preciso espiritualmente crescer. Assim seja.



Escrito por ma.numast às 06h58 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Reportagem do Jornal Repórter Diário, ABC, "

Autor: da Redação

Buscar na Web "da Redação"

Quando: Quarta Feira, 30/05/2007

VALE A PENA PUBLICAR ESTA REPORTAGEM - RITUAL CELEBRA LUA AZUL NESTA QUINTA FEIRA

A Universidade Livre Holística Casa de Bruxa, em Santo André, realiza nesta quinta-feira (31), às 18h, o Ritual de Lua Cheia Blue Moon. De acordo com a crença, este é um momento apropriado para fazer pedidos de amor, harmonia e prosperidade. Dentro das tradições antigas, quando ocorrem duas luas cheias no mesmo mês, a segunda é chamada de Blue Moon (Lua Azul), o que favorece a energia de atração e felicidade. Os interessados em participar do evento devem levar flores e frutas e usar roupa vermelha, rosa ou branca, jamais a cor preta. Para quem prefere fazer um ritual em casa, a dica é colocar em um recipiente um pouco de água quente, oito gotas de mel, oito gotas de seu perfume preferido e oito pétalas de rosas vermelhas e tomar um banho com esta mistura. Outra opção é preparar a salada da alegria. Para isso, coloque no caldeirão um coração de boi (tomate), pedaços de barriga de sapo (pepino) e lagrimas de moça (cebola). Depois acrescente pitadas de rabo de dragão (gengibre em pó) e de asas de morcego (Pimenta do reino ou calabresa) e ao final acrescente beijos de sereia (sal). A Universidade Livre Holística fica na Rua Almirante Protógenes, 281, Bairro Jardim. Mais informações pelo telefone 4997-4327.



Escrito por ma.numast às 11h37 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"O que é a Lua Azul?"

Autor: Fonte: http://geocities.com/mestre_cans/luaazul.html

Buscar na Web "Fonte: http://geocities.com/mestre_cans/luaazul.html"

A Lua exerce um fascínio sobre todos nós, e neste último dia do mês de Maio de 2007, teremos uma razão adicional para aguçar ainda mais nossa curiosidade a respeito. Acontece, que neste dia 31/05, exatamente às 22h:04h terá início à segunda Lua Cheia deste mês, caracterizada como “Blue Moon”, ou “Lua Azul”. Curiosamente, o fenômeno ocorrerá em uma Quinta Feira, que, de acordo com a Astrologia, é consagrado a Júpiter, cuja cor favorável é o Azul. As características do Planeta Júpiter estão associadas à abundância, ética, generosidade, moral, prosperidade e religiosidade, razão pela qual é um momento propício para nos aquietarmos da correria do dia a dia, buscar alguns momentos de reflexão, e entrarmos em contato com o nosso “eu interior”, aproveitando ao máximo esse mágico momento. Por outro lado, segundo os trânsitos planetários, nesta Lua Azul, as conjunções Plutão/Sol e Saturno/Lua recomendam cautela com os relacionamentos, informando que se trata de um período de reestruturações.

O que é a Lua Azul?

Chama-se Lua azul, a segunda Lua Cheia num mesmo mês do Calendário gregoriano. O folclorista canadense Philip Scock, afirma que a expressão é utilizada desde o século XVI para representar uma Lua especial. Ao contrário do que o nome sugere, a Lua Azul é associada a perigos, desvario, desafios emocionais difícil de viver que requerem humildade e despojamento, troca de sofrimentos dilacerantes. É um acontecimento de muita força magnética e poder espiritual onde acontecem profundas purificações emocionais. Acontece em média, uma vez a cada dois anos e sete meses, a cada 19 anos e trinta e seis vezes num século. Na Mitologia Celta, esta Lua favorece o contato com o Reino encantado dos seres de Natureza, invocam-se as Rainhas das Fadas, Aeval, Aine, Aynia, Bri, Creide, Mah e Sin e empreendem-se viagens reais ou imaginárias para SIDHE, as colinas encantadas, morada do Litle People, O Povo Pequeno. Para agradar as fadas, os celtas cultivavam perto de suas casas suas plantas preferidas, calêndulas, verbenas, violetas, prímulas e tomilho, e deixavam oferendas de mel, leite, manteiga, pão e cristais nas clareiras onde os círculos de cogumelos denotavam sua presença. Para favorecer a “visão”, abrindo a percepção psíquica, usava-se Artemísia em Chá ou em infusões para banhos, suco de samambaias ou orvalho passado nas folhas, sache de mil folhas e hipericão, invocações mágicas adequadas. A Lua azul é regida pela matriarca da 13ª Lunação. Ela é “aquela que se torna a visão”, a guardiã de todos os ciclos de transformação, a mãe das mudanças. Esta Matriarca nos ensina a importância de seguir nosso caminho sem nos deixar desviar por ilusões que possam vir a interferir em nossas visões. Cada vez que nos transformamos, realizando nossas visões, uma nova perspectiva e compreensão se abrem, permitindo-nos alcançar outro nível na eterna espiral da evolução do espírito. A última visão a ser alcançada é a decisão de simplesmente SER. Sendo tudo e sendo nada, eliminamos os rótulos e definições que limitam nossa plenitude.

Para criar uma Celebração da Lua azul, use velas e roupas azuis. Prepare água lunarizada, expondo garrafas de vidro azul, cheias de água, aos raios lunares. Prepare “travesseiros dos sonhos”, enchendo uma fronha de tecido azul com flores de sabugueiro, ou lavanda ou alfazema, hipericão, folhas de Artemísia e sálvia. Imante cristais e pedras azuis como o topázio azul, a safira, o berilo, a água marinha, o lápis-lazúli ou a sodalita. Usando músicas com sons da natureza, como pios de coruja, cantos de baleias ou uivos de lobos, permitindo que sua criatividade e intuição levem-no ao Reino das Fadas ou ao encontro das Deusas Lunares. Olhe fixamente para a Lua, eleve os seus braços e “puxe” a luz da Lua para a sua testa, seu coração e seu ventre. Conecte-se em seguida, à Matriarca, pedindo-lhe orientação sobre as mudanças necessárias para alcançar uma real transformação. Permaneça depois, em silêncio e ouça as mensagens e respostas ecoando em sua mente ou alegrando seu coração.



Escrito por ma.numast às 11h05 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Diferenças...."

Autor: Jacques Lusseyran

Buscar na Web "Jacques Lusseyran"

Estou certo de que as crianças sabem muito mais do que são capazes de dizer, e é aí que reside a diferença entre elas e os adultos, que, no melhor dos casos, sabem apenas uma fração do que dizem. Isso acontece simplesmente porque as crianças sabem tudo com todo o seu ser, enquanto nós sabemos apenas com a cabeça.



Escrito por ma.numast às 10h16 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Homenagem à minha irmãzinha Regina"

Autor: Paulinho Nogueira

Buscar na Web "Paulinho Nogueira"

Hoje, dia 26 de Maio de 2007, quero fazer uma Homenagem à minha irmã Regina que está completando 39 anos. A "raspinha do tacho", que quando era pequenina eu cantava essa música do Paulinho Nogueira ao lado de seu berço:

MENINA – Paulinho Nogueira

Menina, que um dia eu conheci criança

Me aparece, assim, de repente, linda, virou mulher

Menina, como pude te amar agora

Te carreguei no colo menina, cantei prá ti dormir

Te carreguei no colo menina, cantei prá ti dormir

Lembra a menina feia, tão acanhada de pé no chão

Hoje maliciosa, guarda segredo em seu coração, seu coração

Menina, que tantas vezes fiz chorar

Achando graça quando ela dizia: quando crescer vou casar com você

Menina, como pude te amar agora

Te carreguei no colo menina, cantei prá ti dormir

Te carreguei no colo menina, cantei prá ti dormir!

 



Escrito por ma.numast às 12h51 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Buscar na Web "Ana da Cigana Natasha & Edileuza da Cigana Nazira"

Oração à Santa Sara

(Para quando precisar de energia)

 "Santa Sara, pelas forças das águas Santa Sara, com seus mistérios, possa estar sempre ao meu lado, pela força da natureza. Nós, filhos dos ventos, das estrelas e da lua cheia, pedimos a Senhora que esteja sempre ao nosso lado; pela figa, pela estrela de cinco pontas; pelos cristais que hao de brilhar sempre em nossas vidas. E que os inimigos nunca nos enxerguem, como a noite escura, sem estrelas e sem luar. A Tsara (casa) é o descanso do dia-a-dia, A Tsara é a nossa tenda. Santa Sara, me abençõe; Santa Sara, me acompanhe. Santa Sara, ilumine minha Tsara, para que todos que batam a minha porta eu tenha sempre uma palavra de amor e de caminho. Santa Sara, que eu nunca seja uma pessoa orgulhosa, que eu seja sempre a mesma... PESSOA HUMILDE !!!"

Essa belíssima Oração é de autoria de Ana da Cigana Natasha & Edileuza da Cigana Nazira e está publicada na pág. VII do Livro: "Mistérios do Povo Cigano" - Editora Pallas 3a Ediçao/1998 - Rio de Janeiro/RJ www.editoras.com/pallas/afrobrasil



Escrito por ma.numast às 09h40 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Poema de Amor"

Autor: Lauro Trevisan

Buscar na Web "Lauro Trevisan"

Quando: Maio, 1980

Grande como o Everest, vulcânico como o Vesúvio, suave como o por do sol, delicado como o orvalho, sublime como a divindade: o amor. Quatro letras pequeninas, mas do tamanho do mundo. Amor, a religião numa palavra. Amor, a razão de ser da vida. Amor, essência da criatura humana. Amor, sinônimo de felicidade. Se não tiveres amor em teu coração, procura-o onde quer que ele esteja, sob pena de desceres à categoria do reino mineral. Procura-o no céu, nas flores, no poente, no luar, na prece, em outro coração, na fonte cristalina, na criança, na mãe, na juventude. Procura-o sem cessar. Um dia, talvez, descobrirás que o hábitat do amor é o coração. Ardente ou tranqüilo, ou adormecido, ou expansivo, ou sensível, ou delicado, ou enfermo, ou explosivo, ou morto, ou sob qualquer outra forma, está ali, no coração de cada um. Vê, o mundo é aquilo que for o amor no teu coração. Se teu coração estiver vazio, o mundo é, para ti, um deserto. Se o amor ilumina o teu coração, o mundo é belo, fascinante e feliz. “E tu também”. Livro: O Poder infinito da sua Mente Editora e Distribuidora da Mente Santa Maria,RS.



Escrito por ma.numast às 11h38 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Sua Mente é um Projetor, sua Vida é uma Tela"

Autor: Richard Barret, Ed.Cultrix. Um Guia para Libertar a sua Alma

Buscar na Web "Richard Barret, Ed.Cultrix. Um Guia para Libertar a sua Alma"

Nós nunca somos vítimas das circunstâncias. A crença esposada de que causas estão fora de nós, no mundo exterior é mera crença. O modelo da consciência mostra que a causa está dentro de nós. Sua mente é um projetor e sua vida é a tela. O que você vê na tela da vida é o reflexo perfeito da sua consciência interior. Aceitar a responsabildiade pela sua vida significa reconhecer que, num nível qualquer, você cria a sua própria realidade. Todos temos uma escolha a fazer na vida. Ou podemos ser os responsáveis ou podemos ser as vítimas. A primeira escolha dá a você o poder de mudar sua vida, ao mesmo passso que o sentido que você dá aos acontecimentos de sua vida é o sentido que decidiu dar-lhes. Tudo depende de você e do modo pelo qual enxerga o mundo. Você nunca é uma vítima, a não ser que decida sê-lo.



Escrito por ma.numast às 10h19 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Todos nós buscamos a ajuda rápida e uma resposta às nossas preces. Sabemos que os anjos estão ao nosso lado desde o momento de nascimento."

Autor: Monica Numast

Buscar na Web "Monica Numast"

A PRECE DOS SETE DIAS Rezar a oração de cada dia da semana é uma maneira simples - e eficiente – de praticar a arte da Magia. Os velhos sábios, certamente inspirados pelos anjos, ensinaram que cada dia da semana possui uma vibração energética própria, relacionada a um planeta, aos signos zodiacais e aos elementos da natureza. Assim, de segunda feira a domingo, há uma cor, uma pedra, um perfume e uma flor que traduzem a vibração do dia. Além disso, cada dia da semana é regido por um anjo, o intermediário entre os humanos o Reino Divino. Eles podem levar os seus pedidos e trazer as bênçãos que transformam os desejos em realidade. É importante lembrar que você só vai alcançar os resultados ideais por meios de orações, se tiver absoluta certeza de que vai consegui-los. A prece, quando pronunciada por alguém que duvide de sua eficácia, não funciona. Mas, ao confiar de verdade no poder da oração e rezar com fervor, pode conseguir tudo o que pediu.



Escrito por ma.numast às 12h40 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil


BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Vila Mariana, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Livros, Praias



Meu humor



Histórico


Categorias
Todas as mensagens Citação



Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 IG
 Amigos do Bem
 Google
 Monica Numast
 Fazenda da Esperança
 Astronomy Brasil
 Médium José Medrado
 Observatório UFMG
 Wikipédia
 Católica